04 fevereiro 2012

Em análise - Endividamento das autarquias



Confesso que ainda não estou refeito da argumentação sobre «aqueles que vêm de fora».
Num concelho e numa cidade feita de gente que veio de fora, ainda há quem utilize o argumento chauvinista de que só ama esta terra e só lhe quer bem quem é de cá, nascido e criado. A todos os outros é impedido o direito de gostar desta terra e das suas gentes, de fazer o melhor que sabe e pode pelo progresso e desenvolvimento de Setúbal.
Este é um argumento que considero ofensivo para os Setubalenses que sempre acolheram bem toda a gente e para todos aqueles que adoptaram Setúbal como sendo sua.

Sobre o resto, continua-se a assistir à heróica capacidade daqueles que faliram Setúbal e o País de se permitirem dar lições de gestão a quem diariamente revela ser possível fazer diferente e melhor, com dificuldades e insuficiências, mas sempre com a certeza de que o caminho não pode ser aquele que nos conduziu à falência.
Retiram meios e recursos, asfixiam financeiramente o município, matam a actividade económica e depois têm a coragem de falar em endividamento dos municípios e de eficiências.

Sem comentários: