17 abril 2012

Há coisas miseráveis



Como é possível que esta gente se preste a tão miserável papel?

Num momento em que os portugueses são alvos de um dos mais brutais ataques de sempre, em que os senhores do dinheiro atiram Portugal ao fundo, provocando desemprego, fome, precariedade, destruição de direitos e serviços públicos essenciais, um grupo de «artistas» vem apelar à caridadezinha, à sopa dos pobres, ao assistencialismo.

Num miserável exercício de cobardia, falta de tê-los no sitio para dizer que o que é preciso é lutar, impedir que nos continuem a roubar, exigir trabalho com direitos, salários dignos, apoios e prestações que garantam a todos protecção social, emprestaram a sua arte e as suas vozes aos que estão a criar um Portugal de esmolas.

5 comentários:

Anil Samarth disse...

SINTO UMA ENORME ALEGRIA PELA ATITUDE DESTE GRUPO DE MUSICOS.GOSTARIA DE ME JUNTAR A VOCÊS,MAS NÃO SEI CANTAR. "A ARTE É O QUE SALVA A COMUNIDADE DA MAIS GRAVE DOENÇA ESPIRITUAL QUE EXISTE:A CORRUPÇÃO DA CONSCIÊNCIA"HERBERT READ".
UM ABRAÇO A TODOS.
DILIA FRAGUITO SAMARTH

Anónimo disse...

Caridadesinha, para os desempregados, os expoliados e abastança para os senhores do capital! Não acham que estão a brincar com as pessoas? A dignidade significa alguma coisa para vocês? Que tal juntarem-se com os que lutam para mudar este nefasto sistema capitalista, que reduz o povo à miséria e engordam cada vez mais os senhores do capital! Luta sim! caridade não!

Anónimo disse...

Como é possível que esta gente se preste a tão miserável papel?

Num momento em que os portugueses são alvos de um dos mais brutais ataques de sempre, em que os senhores do dinheiro atiram Portugal ao fundo, provocando desemprego, fome, precariedade, destruição de direitos e serviços públicos essenciais, um grupo de «artistas» vem apelar à caridadezinha, à sopa dos pobres, ao assistencialismo.

Num miserável exercício de cobardia, falta de tê-los no sitio para dizer que o que é preciso é lutar, impedir que nos continuem a roubar, exigir trabalho com direitos, salários dignos, apoios e prestações que garantam a todos protecção social, emprestaram a sua arte e as suas vozes aos que estão a criar um Portugal de esmolas.

Guilherme Antunes disse...

É indecoroso o papel a que se prestaram estes artistas da canção. Estes lamentáveis ajudantes da caridadezinha, serventuários, objectivos, da manutenção dos pobrezinhos que dá tanto arranjo aos ricos.

Deviam emprestar as vossas vozes para a luta, para alertar consciências, para a denúncia do regresso fascista que alguns de vós conheceram. Dizer que o que uns não querem comer dava jeito a outros é aviltante.

TENHAM VERGONHA NA CARA!

Ester Cid Pita disse...

Indignou-me ver que cantores que com as suas vozes tantas vezes alertaram para a desigualdade e para a caridadezinha,se juntassem agora vergonhosamente para ajudarem gratuitamente(?) estes governantes a promove-la.

O que se passou para se prestarem a esta atitude vergonhosa?Porra,estamos a precisar de gritar basta! É preciso acordar e lutar...lutar...lutar... lutar.
Ester Cid